PRUDÊNCIA AO VOLANTE

Ir em baixo

PRUDÊNCIA AO VOLANTE

Mensagem por Rodrigo.Nunes em Seg Abr 28, 2014 7:35 am

Vários ingredientes entram na receita para se ganhar corridas e campeonatos. E todos eles são cruciais para o sucesso. Essa receita inclui uma grande dose de experiência.

Um piloto pode fazer todas as coisas certas, se preparar bem para uma corrida, mas se ele não fizer as coisas certas na maior parte do tempo, as chances de ganhar são muito pequenas. Por isso, fizemos uma abordagem sobre algumas questões fundamentais de corrida: paciência e inteligência.

Em primeiro lugar, conheça suas limitações e tente ao máximo nunca ultrapassá-las. As vezes você vai acabar exagerando, mas tente ao máximo não excedê-las. Como saber quais são suas limitações? Aqui vai um exemplo: você não tem absoluta certeza que vai conseguir manter a sua linha quando for ultrapassar alguém por baixo, entrando em uma curva, mas mesmo assim executa a manobra. Mesmo que tenha conseguido ter sucesso, você excedeu seus limites naquele momento.

Toda vez que você ultrapassa seus limites e tem sucesso, ganha uma falsa confiança, até o dia que sua manobra não tem sucesso e você tira metade do grid da corrida, o que, inevitavelmente, vai abalar a sua confiança e sua reputação. Confiança em corrida deve vir como em tudo que inspira a verdadeira confiança: pelo seu sucesso ao todo, e não por isolados momentos de sucesso.

Lembre-se da etiqueta das corridas. Se você não respeitar seus concorrentes, não vai ser muito bem visto, e pior que isso, você não estará sendo muito inteligente. Em vários momentos, você vai precisar da ajuda de alguém para ganhar corridas, tanto dentro como fora das pistas. Se você não respeitar os outros, ninguém vai respeitá-lo ou ajudá-lo.

Se você acha que pode ganhar corridas sempre sozinho, e curte isso as custas dos outros, sempre tirando e nunca dando, mais uma vez, você não é muito inteligente.

Agora, se respeitamos os competidores e nós mesmos, podemos falar sobre a diferença entre ser inteligente e ser paciente. Se você for um piloto paciente, você pode ser um piloto inteligente. No entanto, ao mesmo tempo em que você deve ser paciente, você deve ser agressivo.

Você é um piloto inteligente quando sabe a hora e como agir das duas formas. Vemos muitos pilotos rápidos, muitos pilotos agressivos, poucos pilotos pacientes e pouquíssimos pilotos inteligentes, que saibam combinar momentos certos de paciência e outros de agressividade.

A maioria das pessoas remete ao bom senso quando se trata de conduta em corrida, mas o bom senso de um nem sempre é o bom senso do outro, especialmente quando o assunto é corrida.

O piloto experiente entende isso e quase sempre faz a coisa certa sem ter que pensar muito. É que nem depois de horas de treino, você instintivamente faz a coisa certa quando entra naquela curva um pouco rápido demais. Seus reflexos entram em ação e você habilmente põe o carro de volta onde você quer.

Um piloto experiente analisa a concorrência. Esqueça o quanto ele anda rápido no treino. Quanto ele é constante volta após volta? Quanto ele fica nervoso quando você cola no para-choque traseiro dele? Quão bem ele consegue segurar a linha volta após volta? Quão bem ele consegue ver que você diminuiu um pouco mais que o normal entrando em uma curva? Quão agressivo ele é quando quer ultrapassar? Eles saem da frente facilmente quando eles percebem que você quer passar, ou eles correm o máximo que podem para poder ficar na sua frente?

Todas essas questões podem ser observadas e trabalhadas durante os treinos. E se você não tirar tempo para fazer isso, não estará sendo muito inteligente. Esse é o motivo da maioria das corridas de última hora ser um festival de batidas: as pessoas não se conhecem.

Vamos dar uma olhada na coisa certa a se fazer em certas situações:

1. Um piloto que você não conhece muito bem se aproxima da quina do carro na parte de dentro ou de fora entrando numa curva, você alivia e deixa ele levar a melhor ou se arrisca para segurar a posição?

Talvez você acredite que consegue segurar a sua linha, mas quem garante que ele sabe segurar a dele? Claro que você pode culpá-lo depois da corrida por não manter a linha e causar o acidente, mas isso não trará de volta os pontos perdidos, não é verdade?

2. Agora, o contrário: um piloto que você sabe que vai manter a linha na mesma situação e você também sabe que pode manter a sua. O que você faz?

Isso depende do que é bom pra você baseado no objetivo final que é ganhar a corrida. Será que você abusa dos pneus e disputa a curva com ele? Se só faltarem cinco voltas, poderá abusar dos pneus. Se ainda faltarem 50 voltas, talvez a coisa certa a fazer seja deixar ele ganhar a posição.

Após ler as situações acima, você deve ter entendido a ideia de que em qualquer momento que não tiver certeza o que você, seu carro ou a outra pessoa vai ou pode fazer, o melhor é ser conservador, ou paciente, se você prefere usar esse termo. Não importa onde você está ou onde eles estão na pista ou como os outros pilotam. Não existe nenhuma regra que diga que você deve estar aqui ou eles devem estar ali.

Se você presume o comportamento de pilotos que você não conhece, você excedeu suas capacidades.

Nunca tente adivinhar nada. Se você presumir o comportamento de pilotos que você não conhece, você excedeu seu limite, mesmo a culpa sendo totalmente do outro piloto quando você se envolver em um acidente. De quem realmente é a responsabilidade se você tentou adivinhar se ele conseguiria manter a linha? Você teve sua parcela de responsabilidade.

Para esclarecer, digamos que você está liderando uma corrida e está chegando rápido em um retardatário, que você não conhece, entrando em uma curva. Você imediatamente vai para a parte de dentro fazer a ultrapassagem e essa pessoa te fecha acabando com a corrida dos dois. Bem, você teve sua parcela de responsabilidade no lance. Você presumiu que essa pessoa te viu se aproximando. Você achou que ele seria cavalheiro e deixaria você passar. Você pensou que ele não estava disputando posição com alguém e não se importaria de perder tempo deixando você passar. Você delirou que ele saberia fazer uma curva sob pressão. Claro que a culpa foi dele, mas você nunca mais vai ver os pontos daquela vitória. Eles se foram para sempre.

É por isso que talvez muitas pessoas confundam paciência com conhecimento em corridas. Você pode ser tão paciente quanto um santo, mas se você espera ou tenta adivinhar o que pessoas vão fazer, não está sendo muito inteligente. Isso parece muito com aula de direção defensiva. Mas é!

Agora ao paradoxo. Numa corrida, se pilotarmos pacientemente o tempo todo, dificilmente iremos ganhar. Temos que ser agressivos e ultrapassar algumas vezes quando necessário, o que nos torna inteligentes. A melhor maneira de fazer isso é fazendo o dever de casa e conhecendo a concorrência. Se lembra do que a gente fez no treino? Nós fizemos algumas coisas para analisar a concorrência. Tire total proveito disso.

Quando você puder ultrapassar e tiver muita segurança em relação ao que a outra pessoa pode e vai fazer, ultrapasse! Se você não tiver certeza sobre um piloto em uma corrida, você deve se acalmar e analisá-lo. Se não tiver tempo por que está sendo pressionado, faça o que for mais inteligente para você e seus objetivos. Ultrapassar ou deixar o piloto de trás passá-lo e ver o que ele vai fazer com o piloto que está a sua frente.

Se você assumir o risco de ultrapassar e o cara da frente não segurar a onda, ele pode ser o culpado, mas sua decisão não terá sido a mais inteligente.

No fim das contas é muito simples. Seja agressivo quando tiver certeza que pode ser e paciente quando você não tiver a mesma certeza.

Mesmo quando faz seu dever de casa e tem certeza que pode ultrapassar um piloto que vai dar espaço, e um dos dois erra, isso não é burrice. Isso é, verdadeiramente, aquilo que chamamos de "coisa de corrida". Acontece com todo mundo. Mas é claro: um piloto que concentre total responsabilidade em um lance prejudicando outro provavelmente será penalizado.

Não se engane. Não tente justificar para você mesmo que você tinha certeza que podia ultrapassar e que os dois manteriam a linha quando, na verdade, não tinha certeza sobre você e/ou o piloto da frente. Culpar é irrelevante, é uma causa perdida e sem valor, não vale o seu tempo e nem o de ninguém. Ainda assim, o F1BC tem um competente grupo de organizadores, diretores de prova capazes de receber um protesto, avaliar e aplicar uma penalização caso necessário.

Finalmente, vamos falar sobre cortesia. Não é uma regra, mas cortesia. Quando um piloto põe o carro por dentro com metade da carroceria, o que está por fora dá espaço. Se o piloto de dentro não chegar até metade do carro ele deve tirar o pé e seguir atrás.

Claro que, seguindo os preceitos deste texto, sendo inteligente e prudente você não contará que seu adversário vá lhe dar espaço ou recolher o carro. Portanto, seja metade, um terço, um bico de um carro ao seu lado, você deve entender que tirar ou deixar sem espaço um adversário pode se tornar um risco.

Se você for um retardatário e os líderes chegarem a você, dê a linha de dentro para eles na curva.

Dito isso, se você não sabe o que o outro piloto vai fazer, é sempre correto ser paciente. Se você for agressivo e o outro piloto não conseguir fazer a coisa certa ou manter a linha, você pode culpá-lo à vontade, mas como recuperar um resultado?

Seja inteligente e corra com prudência, nunca culpando os outros por ter pago pelos erros alheios.

Autor: Bob Stanley
Adaptado por: Mark Royer
Traduzido por: Bruno Melo, Jefferson Greff, Jota Rodrigues e Marco Palermo
avatar
Rodrigo.Nunes
Admin

Mensagens : 308
Data de inscrição : 25/04/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo/sp

http://campeonatodef1360.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum